CTL

TAÇA DE PORTUGAL

Montalegre aponta dedo à arbitragem na eliminação da competição

Barrosões "caíram" na 3ª eliminatoria da Taça de Portugal, diante do Académico de Viseu (2-3), numa partida em que, dizem, não terem sido apontadas duas grandes penalidades a favor do Montalegre. 


O Montalegre está fora da Taça de Portugal depois da derrota na receção ao Académico de Viseu, da II Liga que, ao intervalo já vencia por 2-0, com golos de Yuri Araújo (38') e Paná (41'). 

Na segunda parte, Yuri Araújo ampliou para três a vantagem dos visienses aos 47' e quando parecia que a equipa de António Duarte estava já confortável na partida, o Montalegre respondeu e reduziu a desvantagem por Outtara, que havia rendido Samate ao intervalo, na sequência de um canto batido por Miguel Ângelo que o marfinense, finalizou ao segundo poste. 

O 3-2 surge depois de o Viseu ter ficado reduzido a dez unidades, com a expulsão de Fernando Ferreira (63'), e através de uma grande penalidade batida por Zangão, que saltou do banco na segunda parte. 

Até ao final da partida, o Montalegre procurou o empate para levar a decisão da eliminatória a prolongamento mas, apesar das oportunidades, a formação liderada por José Manuel Viage não conseugiu evitar a derrota numa partida em que os barrosões se queixaram da equipa de arbitragem, tendo ficado duas grandes penalidades por assinalar, uma na primeira parte, aos 11', por falta sobre Samate, e outra na segunda parte, aos 58', por mão na bola do Viseu. 

O Montalegre cai, assim, na 3ª eliminatória da prova rainha do futebol português. 

Amanhã, domingo, é a vez do Vilar de Perdizes, a última equipa transmontana na prova, que defronta o Fafe, fora de portas, às 11 horas. 

 

Comentários