Arquivo VTM

Centro Hospitalar de Trás-os-Montes processou 35 mil testes desde março

O Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD) reforçou o Serviço de Patologia Clínica com 12 profissionais para uma resposta mais célere à covid-19, tendo processado 35 mil testes desde o início da pandemia.


Eliana Costa, responsável do serviço, disse que “a reorganização da Patologia Clínica, quer em termos humanos, de espaço e equipamento, foi fundamental para uma rápida e eficaz resposta no diagnóstico à covid-19”.

“Aumentámos a nossa capacidade de testagem nas três unidades laboratoriais, o que permite detetar a infeção e responder, de forma célere, a esta doença”, frisou, num comunicado remetido hoje pelo centro hospitalar, que tem sede social em Vila Real.

Atualmente é possível processar no CHTMAD (Vila Real, Chaves e Lamego) 62 amostras de pesquisa de SARS-CoV-2 em simultâneo ou em diferentes ciclos.

Desde o início da pandemia, o Serviço de Patologia Clínica processou mais de 35 mil testes à covid-19. Paralelamente ao despiste da covid-19, o serviço processou mais de dois milhões de estudos laboratoriais no mesmo período.

Os espaços físicos, nas três unidades hospitalares, foram preparados com circuitos distintos para receção, verificação, integração e posterior análise efetiva das referidas amostras.

Foi também feito um reforço da equipa, com a contratação de mais seis técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica, cinco técnicos superiores e um assistente técnico.

Segundo o centro hospitalar, “estas contratações tornaram possível processar amostras desta doença durante 24 horas por dia, sete dias por semana, permitindo encurtar o tempo de resposta na disponibilização dos resultados”.

No que se refere a doentes urgentes/emergentes existe, desde maio, a possibilidade de realização de testes rápidos, que permitiram a redução no tempo de resposta para cerca de 45 minutos desde a entrada no equipamento até à saída do resultado.

O CHTMAD concentra os doentes com covid-19 na unidade hospitalar de Vila Real, onde, segundo dados fornecidos hoje à agência Lusa, se encontram internados 57 doentes em enfermaria e 12 em unidade de cuidados continuados.

O centro hospitalar explicou que o “número de internados tem sido dinâmico em função da evolução da situação epidemiológica na região”.

No distrito de Vila Real há cerca de 1.200 casos ativos de infeção pelo novo coronavírus.

Portugal regista hoje 6.994 novos casos de infeção com o novo coronavírus, o valor diário mais elevado desde o início da pandemia, e mais 69 mortes relacionadas com a covid-19, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal contabiliza 3.701 mortes e 243.009 casos de infeção pelo novo coronavírus.

Comentários