DR

CIM TERRAS DE TRÁS-OS-MONTES

Autarcas reivindicam inclusão da ligação até à Galiza no PNI 2030

CIM das Terras de Trás-os-Montes considera que a não inclusão desta ligação transfronteiriça no PNI 2030 compromete o desenvolvimento da região na próxima década.


Num documento enviado à presidência da República e a vários ministérios, a Comunidade Intermunicipal das Terras de Trás-os-Montes mostrou o seu “desagrado pelo facto de a sua proposta de construção de uma ligação rodoviária entre as Terras de Trás-os-Montes e Galiza não ter merecido a devida atenção por parte do Governo” e reivindicam a inclusão desta ligação no Plano Nacional de Investimento 2030.

Os autarcas das autarquias que compõem esta CIM referem que a construção da ligação transfronteiriça, “com perfil de Itinerário Principal (IP), entre Macedo-Vinhais-Gudiña”, foi definida na altura como um investimento estratégico para o estreitamento das relações económicas entre Portugal e Espanha e “consequentemente com o resto da Europa” e consideram que a não inclusão da mesma no PNI 2030, “compromete o desenvolvimento da região na próxima década, pois é uma infraestrutura imprescindível para a dinamização socioeconómica do território”.

Comentários