Arquivo VTM

Carrazeda de Ansiães pede revisão de critérios em concelhos de baixa densidade

O presidente da câmara de Carrazeda de Ansiães, João Gonçalves, disse hoje que o critério de avaliação dos concelhos considerados com elevado risco de propagação do novo coronavírus deve ser revisto, principalmente nos municípios que têm menor densidade populacional.


"Vemos grandes impactos económicos no turismo, na restauração e no alojamento [com as restrições do estado de emergência], porque não se pode circular durante vários períodos de tempo neste concelho. Apelo a uma revisão da fórmula de cálculo nos concelhos de baixa densidade populacional, como o caso de Carrazeda de Ansiães", no distrito de Bragança, vincou o autarca.

Segundo João Gonçalves, o concelho de Carrazeda de Ansiães registou 17 casos de covid-19 em 14 dias, num universo de 5.666 habitantes distribuídos por uma área de 280 quilómetros quadrados, o que o fez entrar "para a lista vermelha dos concelhos elevado grau de contágio".

"São poucos casos registados num concelho uma área territorial tão vasta, mas de baixa densidade populacional e daí entrarmos para esta fórmula", concluiu o autarca.

Contudo, o autarca também refere "que regras são regras" e vão ser acatadas, apelando ao bom senso da população para que respeite todas normas decretadas pelas entidades de saúde pública e pelo Governo.

"Nesta fase da pandemia temos todos de redobrar esforços para cuidamos de nós e levarmos a sério as normas emanadas pela Direção-Geral da Saúde", frisou João Gonçalves. 

Segundo o último boletim epidemiológico emitido na quinta-feira pela Unidade Local de Saúde (ULS), o concelho de Carrazeda de Ansiães regista 11 casos ativos.

 

Comentários