Arquivo VTM

Autarquia lamenta perdas na economia com entrada na lista de risco

A partir de segunda-feira, Montalegre passa a integrar a lista de concelhos com risco elevado de propagação da Covid-19. Autarquia está preocupada com os efeitos na economia.


A câmara de Montalegre lamenta as perdas para a economia local estimada com a entrada do município na lista de concelhos com risco elevado de transmissão da covid-19, adiantou hoje à Lusa o vice-presidente, David Teixeira

“Infelizmente, para a economia local é uma perda. O facto de termos os municípios vizinhos já na lista anterior fez com que os restaurantes já se estivessem a ressentir muito ao fim de semana", referindo-se às medidas mais restritivas relativamente a horários de comércio e restauração bem como de circulação, a que aquele concelho vai ficar sujeito.

O autarca lembrou que o principal mercado turístico naquele concelho é a região norte e que nos últimos dois fins de semana, com as medidas mais restritivas, o turismo, quer a restauração, quer as visitas ao Parque Nacional Peneda-Gerês, já sentiu uma quebra.

Segundo o boletim epidemiológico da Unidade de Saúde Pública do Alto Tâmega e Barroso, divulgado na quinta-feira, Montalegre registava 52 casos em fase ativa de covid-19 e uma ‘taxa de ataque’ nos últimos 14 dias de 522,4 casos por 100 mil habitantes.

Para David Teixeira, há uma “preocupação económica e de futuro” quer a nível nacional, quer em concreto com a região norte.

“O problema do desemprego vai afastar muita gente de passar o fim de semana no concelho, ou de vir comer o cozido barrosão, que começa agora a ser a altura dele”, sublinhou o socialista.

Hoje, caso o país não atravessasse uma pandemia, celebrar-se-ia a ‘sexta-feira 13’ que é marcada de forma especial em Montalegre atraindo milhares de visitantes, referiu.

Com 52 casos em fase ativa da doença no concelho, David Teixeira explicou que o surto no lar da vila de Salto fez com que a “propagação dos casos fosse acontecendo de forma devagar e silenciosa”.

O regresso de alunos que estudam fora do concelho, quer universitários em várias zonas do país, quer no secundário, no concelho de Chaves, causou também o surgimento de casos de covid-19.

“Até aí tínhamos quatro casos positivos, começou devagar e foram atingindo várias localidades do concelho. Felizmente as pessoas são na maioria assintomáticas, temos apenas conhecimento de dois casos internados”, salientou.

Comentários